Cesar Grossmann, Assistente Administrativo
  • Assistente Administrativo

Cesar Grossmann

Candelária (RS)
2seguidores33seguindo
Entrar em contato

Comentários

(56)
Cesar Grossmann, Assistente Administrativo
Cesar Grossmann
Comentário · há 2 anos
Do jeito que falam, parece que não tinha corrupção no tempo da Ditadura Militar...

Sério, uma ditadura militar não vai ter o condão de acabar com a corrupção. Vai ser pior, quem disser que tem corrupção no governo vai desaparecer, como acontecia nos anos da Ditadura Militar.

Só para lembrar 10 casos notórios de corrupção (vou copiar da matéria do Marcelo Freire, UOL, 2015)

1. Contrabando na Polícia do Exército - uma quadrilha fazia contrabando de uísque, perfumes, etc. Foram presos e torturados, mas libertados por que a confissão foi obtida sob tortura (se você fosse militar tinha disso, os civis podiam até morrer nos porões da Ditadura que nada acontecia).

2. O escândalo do delegado Fleury. O torturador e assassino foi acusado de associação ao tráfico de drogas e extermínios. Ganhou uma medalha do Exército, o traficante de drogas. Os militares chegaram a reescrever o
código penal para que o Fleury não fosse preso.

3. Governadores biônicos. Um foi preso extorquindo um empreiteiro, outro foi acusado de beneficiar uma empresa da qual seria acionista (não sei se lembram, um tal de Antônio Carlos Magalhães)

4. Luftalla - Paulo Maluf foi acusado de dar empréstimos via BNDE para a empresa têxtil falida da esposa dele. Acabou em pizza.

5. As mordomias de ministros e servidores em Brasília. É, gente, começou com os nossos seríssimos militares, piscina térmica na casa do minstro de Minas e Energia, 28 empregados na casa do Ministro do Trabalho, Laquê e comida comprados para o governador de Brasília, tudo pago com dinheiro público. Começou neste período o costume de ministro viajar em jatos da Força Aérea. Generais de exército tinham direito a dois carros, três empregados e casa decorada. Generais de Brigada que iam para Brasilia ganhavam US$27 mil para comprar a mobília. Cabos e sargentos eram empregados domésticos das autoridades, e por aí vai.

6. Delfim Netto, ministro da Fazenda, teria beneficiado a empreiteira Camargo Corrêa e também teria prejudicado o Crédit Commercial de France, que havia se recusado a fornecer US$60 milhões para uma obra da CC. Nunca aconteceu nada. Eu lembro que o Delfim Netto foi um dos que ia ao FMI para negociar empréstimos internacionais. Naquele tempo, ministro que conseguisse empréstimo internacional também ganhava uma gorda comissão.

7. A General Electric admitiu ter pago comissões para vender locomotivas à Rede Ferroviária Federal.

8. General Newton Cruz teria mandado matar o jornalista Alexandre von Baumgarten. Pouco depois de Baumgarten ter publicado dossiê dizendo que Newton Cruz estava planejando sua morte. Baumgarten parece que tinha conhecimento de alguns podres de Newton Cruz, alguma coisa sobre uma tal de Agropecuária Capemi.

9. Caso Coroa-Brastel - virou até letra de música que tem gente que canta e não faz ideia o que seja. Recursos públicos foram desviados por meio de um empréstimo da CE em 1981. Pizza.

10. Grupo Delfin pagou uma dívida de Cr$ 70 bilhões com terrenos que valiam Cr$ 9 bilhões. Pizza também.

Tem mais se vocês procurarem por corrupção na ditadura militar: Desvio de verbas na construção de Itaipu, Paulipetro, empresa do Maluf gastou R$ 4 bilhões do dinheiro público para encontrar petróleo em São Paulo. Nunca encontrou nada. Ponte Rio-Niterói, mortes de operários, acidentes, desvios de verbas, atraso nas obras, até hoje não se sabe exatamente quanto custou de verdade, os militares censuraram esta informação. Transamazonica, ligando o nada a lugar nenhum, e comendo fortunas do dinheiro público, sem contar com os desvios. E tem até o caso do golpe militar sendo financiado por caixa 2 de empresas, seis maletas de dinheiro, segundo o coronel reformado Elimá Pinheiro em 2014. Fraude do farelo, US$ 700 milhões que foram emprestados a "plantadores de mandioca" que nunca conseguiam "colher" nada, "por causa da seca", e o seguro agrícola pagava o prejuízo. A fraude do farelo mesmo aconteceu depois, pecuaristas pedindo financiamento para comprar farelo e alimentar o gado, mas aplicavam o dinheiro na poupança.

Estão achando a democracia ruim?

Perfis que segue

(33)
Carregando

Seguidores

(2)
Carregando

Tópicos de interesse

(42)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

Outros perfis como Cesar

Carregando

Cesar Grossmann

Entrar em contato